RSS

Arquivo mensal: dezembro 2010

Ministério x Amizade

Vamos falar um pouco sobre esse assunto.

Isso é algo muito comum nas igrejas. Mais comum do que se imagina.

Eu sempre fiz parte de uma denominação, mas, pouco mais de 4 anos houve uma direção do céu (MESMO!) pra eu ir para outra.

Entenda: O motivo foi o tempo de Deus na minha vida. Não saí porque estava decepcionado com alguém; Não saí porque não concordava com o pastor e sua metodologia; Não saí porque não era tão valorizado como deveria; etc

Saõ vários motivos que as pessoas tem para mudar de denominação. Quando saí de lá, saí na paz. Nunca tive problema algum com qualquer coisa ou situação nesse tempo. E olha que fiquei cerca de 20 anos nessa verdadeira escola pra mim.

Mas o fato é que, o motivo hoje para trocar de igreja é a chamada conveniência. “Fulano saiu. Eu gosto tanto dele. Pra qual igreja ele foi? Vou visitá-lo. Se eu gostar, fico”. Simples assim!

E quando é um amigo que sai? Eita!

A gente fica imaginando tanta coisa! “Porque ele saiu? Será que alguém o magoou? Será que teve algum problema com a liderança?”

Esquecemos do propósito de fazer parte do corpo de Cristo. É muito fácil mudar de igreja, mas, o que precisa mudar é o nosso coração.

Onde está a nossa motivação? Não pode estar no ser humano. Por mais que ele seja próximo de mim, não posso depositar minha fé e esperança nele.

O foco é Jesus e o chamado que Ele confiou a nós.

Aí dizemos que estamos tristes, desanimados, espiritualmete fracos. Não pedimos ajuda a quem REALMENTE deve se contar. Quem a gente procura? O “amigo”. Fala seus motivos do porque de sua saída e…nos convencemos. Damos razão e apoiamos sua decisão.

Uma amnésia toma conta de nós. Esquecemos daqueles que sonhavam conosco. Esquecemos daqueles que investiram em nós. Não lembramos daqueles que continuam insistindo para que estejamos na presença de Deus e em comunhão com os irmãos. Ouvimos o “amigo”. “O que passou, passou. Esse é um novo caminho pra mim!” Dizemos.

Ingratidão.

Quem achava-mos que era maduro revelou-se uma decepção amarga.

Quando nossos olhos são abertos e vemos que a conversa do “amigo” não era bem o que parecia ser, nos arrependemos. Tudo parece estar numa boa no primeiro momento. Aí a gente lembra de uma coisa básica na vida do cristão e que deveríamos ter feito antes de tomar uma decisão: Orar. Mas orar até obter resposta do céu.

É como diz a canção: ” Quando tudo parece estranho ao redor: Buscar Tua face é preciso, Deus! “

Onde você fincou suas raízes? Onde você estabeleceu sua morada?

Seu futuro depende das sementes que você lançou. Para que elas criem raízes é preciso tempo. Quantos lançando a semente e indo embora. Começam desnecessariamente tudo de novo.

Quer ver novamente o resultado das suas sementes? Regue com perdão. Não jogue fora aquilo que você levou tanto tempo pra conquistar por causa de motivos pessoais. Esteja sincronizado com a vontade do Pai. Consolidado na vontade do Pai.

Paz!

 

Anúncios
 
Deixe um comentário

Publicado por em 15 de dezembro de 2010 em Uncategorized

 

Características de um traidor

A traição é uma das coisas mais terríveis para o homem.

Significado da palavra “trair” – enganar por traição, delatar, abandonar, ser infiel, não cumprir.

A história mostra muitos casos de traição. Na Bíblia há muitos casos. Exemplo: Davi  e Jesus. Davi teve uma triste experiência na família, quando seu filho Absalão conspirou contra ele. Mas, o autor desta conspiração foi Aitofel. Aitofel foi um traidor.

Qual a característica de um traidor?

(1) A CARACTERÍSTICA DE UM TRAIDOR

No hebraico, Aitofel significa irmão da insensatez ou tolo. Ele viveu no tempo de Davi; tornou-se uma importantíssima figura em Israel; era dotado de grande sabedoria secular e influência política; e era membro do Conselho de Davi.

Mas…

1- Aitofel era interesseiro, pois buscava os seus próprios interesses – Com a revolta de Absalão contra seu pai Davi, Aitofel decidiu por apoiar Absalão, traindo assim o rei Davi. Sua decisão foi baseada em interesses próprios, com fins políticos.

Antes da conspiração contra Davi, Absalão convocou Aitofel, e, certamente, esse foi o mentor daquele trágico incidente. Eis o que diz a palavra de Deus em 2 Sm.15:12 – “Também Absalão, enquanto oferecia os seus sacrifícios, mandou vir da cidade de Siló, Aitofel, o gilonita, conselheiro de Davi. E a conspiração tornava-se poderosa, crescendo cada vez mais o número do povo que estava com Absalão”. O apoio de Aitofel, com sua influência política e uma mente calculista, foi decisivo para o estabelecimento do caos.

Aitofel lembra a figura de Judas Iscariotes (Jo.13:21-30). Apesar de ser discípulo de Jesus, estava obstinado pelo ganho fácil e tirar proveito, pois era um oportunista. O ódio imperava em seu coração e ele não pensava nas pessoas, apenas cuidava para se sair bem. Era motivado pelo dinheiro (tirar vantagem) e desaparecar.

Judas traiu o Senhor Jesus com um beijo, pelo preço de trinta moedas de prata (Mt.26:15) e por causa disso ele se tornou o ícone do traidor e indesejado por toda humanidade.

2- Aitofel era falso – A Bíblia mostra que ele se achava “o cara”, “a solução”, “o bom”. Mas o seu coração estava longe disso, pois não confiava no Senhor. Aitofel era um típico caso de quem estava se  estribando no seu próprio conhecimento. Mas a recomendação é a seguinte: “Confia no Senhor de todo o teu coração, e não te estribes no teu próprio entendimento” (Pv.3:5).

Aitofel se considerava um representante de Deus, no entanto, sem conhecê-Lo, potanto, sem confiar no Senhor, e, com este terrível aspecto, aconselhava conforme os desígnios e intenções malignas. Os conselhos de Aitofel eram considerados por todos como as respostas do Deus Todo-Poderoso e ele infuenciava tanto o rei Davi como o seu filho Absalão. Eis a palavra de Deus: “E o conselho que Aitofel dava naqueles dias era como se o oráculo de Deus se consultara; tal era todo o conselho de Aitofel, tanto para com Davi como para Absalão.” (2 Sm.16:23).

Jesus recomenda a guardar-nos deste tipo perigoso em Mt.7:15 – “Guardai-vos dos falsos profetas, que vêm a vós disfarçados em ovelhas, mas interiormente são lobos devoradores”.

Aitofel, com seus conselhos diabólicos, aconselhou Absalão a cometer um terrível pecado a fim de enlaçá-lo num nível ainda maior o qual ocasionaria um trágico final. Um ato de orgia sexual, à vista de todo o povo de Israel foi o perverso conselho daquele que era considerado um representante divino.

Eis a palavra de Deus – “Então disse Absalão a Aitofel: Dai o vosso conselho sobre o que devemos fazer. Respondeu Aitofel a Absalão: Entra às concubinas de teu pai, que ele deixou para guardarem a casa; e assim todo o Israel ouvirá que te fizeste aborrecível para com teu pai, e se fortalecerão as mãos de todos os que estão contigo. Estenderam, pois, para Absalão uma tenda no terraço; e entrou Absalão às concubinas de seu pai, à vista de todo o Israel.” (2 Sm.16:20-22).

A principal característica de um traidor é a falsidade. Falsidade é a característica de quem ou do que  é alterado ou assemelhado com o único objetivo de iludir, de fraudar, de adulterar, de arremedar, etc. Falsidade é ausência de sinceridade.

Qundo Jesus disse sobre os discípulos que eles já estavam limpos, mas não todos (Jo.13:10-11), mostra que Ele sabia quem era o traidor, antes mesmo de lavar os seus pés.

3- Aitofel teve um final trágico – Ter um fim trágico é também uma marca que persegue os tridores. Quando Aitofel viu que o seu conselho fora rejeitado em relação ao de Husai, sendo ele muito perspicaz, concluiu que a sua causa estava perdida. Assim, em Absalão aceitar o conselho de Husai, Aitofel concluiu que Davi, homem de guerra, retomaria o poder, e isso seria o seu fim, uma vez que aconselhara mal e intentara matar o rei. O que ele fez: “Vendo, pois, Aitofel que não fora seguido o seu conselho, albardou o jumento e, partindo, foi para casa, para a sua cidade; e, tendo posto em ordem os seus négócios, se enforcou e morreu; e foi sepultado na sepultura de seu pai” (2 Sm.17:23). Assim, ele voltou para casa, de fria, decidida e obstinadamente, pôs em ordem os seus negócios, e deu cabo a sua vida. O traidor sempre tem um final trágico.

Com Judas também aconteceu o mesmo. Tomado pelo remorso tratou de por fim a sua própria vida (Mt.27:3-10).

“Se você já desempenhou o papel de um traidor, causando dores e decepção a alguém que lhe amava, experimente o arrependimento verdadeiro e não se mate, mas, destrua este mal em sua vida em nome de Jesus Cristo, sem, no entanto ser destruido. Não demore, retrate-se diante de Deus e receba o perdão que Ele oferece em Cristo Jesus, na força e poder do Espírito Santo. Peça perdão a quem você traiu, confie em Deus e liberte-se deste laço que gera muitos males e morte. Seja fiel e restitua”.

(2) O TRAUMA GERADO PELA TRAIÇÃO

Ser traido é algo traumático.

Jesus sofreu a dor da traição e da decepcionou com seus discípulos amigos (Lc.22:39-46). Judas O traiu e ao ser preso todos os discípulos se afastaram dEle.

1-A dor da traição é a que mais traumatiza, principalmente quando vem de pessoas que temos um forte vínculo de amor – Aitofel mantinha uma proximidade com Davi. Ele era seu amigo íntimo, frequentava a sua casa e era seu irmão na fé a um único Deus.

Davi ficou extremamente desapontado quando tomou conhecimento do envolvimento de Aitofel com seu revoltoso filho Absalão ao dar-lhe conselhos – “Então disseram a Davi: Aitofel está entre os que conspiraram com Absalão. Pelo que disse Davi: Ó Senhor, torna o conselho de Aitofel em loucura!” (2 Sm.15:31). Esse foi uma desagradável experiência que o rei teve que suportar o que lhe gerou uma grande dor, a dor da decepção a qual ele experssa no seguinte texto – “Estremece-me no peito o meu coração, e terrores de morte sobre mim caíram… Com efeito, não é um inimigo que me afronta; se o fosse, eu poderia suportá-lo; nem é um adversário que se exalta contra mim, porque dele poderia esconder-me; mas és tu, homem meu igual, meu companheiro e meu amigo íntimo. Conservávamos juntos tranqüilamente, e e entretínhamos e íamos com a multidão à casa de Deus.” (Sl.55:4,12,13,14)

Há um tipo histórico e profético em relação ao episódio de Davi e Aitofel que se cumpre em Jesus e Judas. O Salmo 41:9 diz: “Até o meu amigo íntimo, em quem eu confiava, que comia do meu pão, levantou contra mim o calanhar”. A perplexidade que fez Davi estremecer seu coração é semelhante, guardada as devidas proporções, à mesma que Jesus sentiu aos ser traido e abandonado pelos seus 12 íntimos amigos e discípulos. A expressão “levantou contra mim o calcanhar” significa pôr os pés sobre o pescoço de forma brutal, típica de Brutus, filho adotivo de Caius Julius Ceazar o qual apunhalou seu pai pelas costas numa conspiração. Não há maior dor do que a de ser traido por um filho amado.

2- A traição é uma seta que gera terríveis sofrimentos

As dores sentidas por Davi são descritas no Salmo 55. Ele afirma: “sinto-me perplexo” e “ando perplexo” (v.2), tais afirmações demonstram desassossego e terror de morte. Ele diz: “Estremece-me no peito o meu coração, e terrores de morte sobre mim caíram; temor e tremor me sobrevêm, e o horror se apodera de mim” (Sl.55:4,5).

Eis as conseqüêcias geradas pela traição na pessoa traída: traumas emocionais como tristeza, raiva, ódio, depressão, isolamento, solidão, amargura, desconfiança, que geram enfermidades físicas e a morte.

(3) COMO SER CURADO DAS SEQÜELAS GERADAS PELA TRAIÇÃO

1- Entender que a traição é uma fraqueza humana – Qualquer pessoa que vive sob o pecado pode trair ou decepcionar a outra. Jesus nos ensina o fundamento para o tratamento desta e de qualquer fraqueza humana através da Sua atitude em relação àquela mulher que foi apanhada em flagrante adultério e levada para Ele julgar. Ele disse: “… aquele que dentre vós estiver sem pecado seja o primeiro que lhe atire a pedra” (Jo.8:7).

2- Liberar o perdão para quem nos traiu – O perdão é fonte de saúde, é assepcia espiritual, é a melhor medida que permite a proteção espiritual da pessoa contra as contaminações malignas. O perdão é imprescindível para quem quer ter uma vida saudável. A saúde é decorrente do perdão (Tg.5:16). As sequëlas geradas pela traição vão sendo sanadas a medida que decidimos perdoar aquele que nos traiu.

Em Mateus 18:21-35 Jesus nos dá uma lição sobre a importância do perdão:

(1º) Fomos perdoados por Deus de uma dívida impagável. Devíamos, mas imerecidamente recebemos o perdão total e gratuito de Deus;

(2º) O que recebemos devemos dar também. Do modo como fomos perdoados por Deus devemos perdoar todos os que nos ofenderam.

(3º) A ausência de perdão revela falta de amor, de gratidão e respeito a Deus.

(4º) Não perdoar desencadeia três grandes sérios problemas:

(1) desperta a ira de Deus,

(2) produz sofrimento e dor,

(3) fecha as portas para a misericórdia de Deus.

3- Orar pelos traidores.

“Eu, porém, vos digo: Amai aos vossos inimigos, e orai pelos que vos perseguem” (Mt.5:44).

(4) COMO MANTER-SE PRESERVADO DA TRAIÇÃO

4.1- Mantendo um coração reto e sincero diante de Deus. Lembrando que um abismo leva a outro abismo, logo, se alguém trai, tudo indica que também será traido. É a lei da semeadura e colheita – “Não vos enganeis; Deus não se deixa escarnecer; pois tudo o que o homem semear, isso também ceifará (Gl.6:7);

4.2- Guardando os regulamentos da palavra de Deus sobre o assunto:

4.2.1- “Já por carta vos escrevi que não vos comunicásseis com os que se prostituem; com isso não me referia à comunicação em geral com os devassos deste mundo, ou com os avarentos, ou com os roubadores, ou com os idólatras; porque então vos seria necessário sair do mundo. Mas agora vos escrevo que não vos comuniqueis com aquele que, dizendo-se irmão, for devasso, ou avarento, ou idólatra, ou maldizente, ou beberrão, ou roubador; com esse tal nem sequer comais. Pois, que me importa julgar os que estão de fora? Não julgais vós os que estão de dentro? Mas Deus julga os que estão de fora. Tirai esse iníquo do meio de vós” (1 Co.5:9-13);

4.2.2- “Sabe, porém, isto, que nos últimos dias sobrevirão tempos penosos [= gr. chalepos = Strong diz que tempo penoso é um tempo difícil, severo, selvagem, perigoso, doloroso, feroz, cruel, difícil de lidar. Descreve que tal tempo é proveniente de uma sociedade que é desprovida de virtude, mas abundante em vícios]; pois os homens serão amantes de si mesmos, gananciosos, presunçosos, soberbos, blasfemos, desobedientes a seus pais, ingratos, ímpios, sem afeição natural, implacáveis, caluniadores, incontinentes, cruéis, inimigos do bem, traidores, atrevidos, orgulhosos, mais amigos dos deleites do que amigos de Deus, tendo aparência de piedade, mas negando-lhe o poder. Afasta-te também desses. Porque deste número são os que se introduzem pelas casas, e levam cativas mulheres néscias carregadas de pecados, levadas de várias concupiscências; sempre aprendendo, mas nunca podendo chegar ao pleno conhecimento da verdade. E assim como Janes e Jambres resistiram a Moisés, assim também estes resistem à verdade, sendo homens corruptos de entendimento e réprobos quanto à fé. Não irão, porém, avante; porque a todos será manifesta a sua insensatez, como também o foi a daqueles” (2 Tm.3:1-9)

CONCLUSÃO

Davi foi traido e sofreu desesperadamente no seu íntimo, pois uma pessoa amada foi a causa de toda aquela sua dor e decepção. Entretanto, ele orou dizendo: “Eu, porém, invocarei a Deus, e o Senhor me salvará” (Sl.55:16).

A solução para a vitória contra a dor da traição e da decepção é um grande desafio espiritual e consiste na confiança total em Deus de que Ele é poderoso para cuarar o traido e preservá-lo a fim de que não lançe mão da vingança, pois a recomendação é: “Não vos vingueis a vós mesmos, amados, mas dai lugar à ira de Deus, porque está escrito: Minha é a vingança, eu retribuirei, diz o Senhor” (Rm.12:19)

Pr. Eduardo Tompson

 
1 comentário

Publicado por em 13 de dezembro de 2010 em Uncategorized

 

Como a gente precisa entender: Música

Realmente ainda há uma nuvem muita densa e escura quando se trata de música. Principalmente entre nós, os evangélicos.

Música é algo universal.

O ser humano é de um sistema complicado, mas, existem certas particularidades que estão no DNA de cada indivíduo. O Pai da música, Deus (e não o diabo), pôs sobre cada pessoa um desejo, uma fome por música. Qualquer pessoa sente a necessidade de ouvir uma canção em vários momentos de sua vida. Uns tem, de fato, o dom musical. O que interessa é que música integra o conjunto humano.

Temos uma dificuldade em entender que tipo de música podemos ouvir, cantar ou as duas coisas.

A música possui diversos estilos, vertentes, mas queremos espiritualizá-la. Música é música!

Quando cantamos uma canção de adoração na igreja, estamos cantando uma música.

Quando estamos numa festa e cantamos canções de alegria, continua sendo música.

Até num velório, muitas vezes entoamos cânticos que também são simples e puramente música.

Música evangélica é música. Música católica é música.

Não importa o som, melodia ou ritmo, tudo continua sendo música.

Agora, o que importa para nós, principalmete evangélicos é: O conteúdo.

Basicamente é isso no qual devemos nos preocupar. Já ouvi muita gente dizer: Eu não vou cantar aquela música porque ela não é de Deus. A música, em sua essência é de Deus. A letra quem decide é o ser humano porque faz parte da sua natureza decidir o que quer cantar. Muitas canções que são verdadeiras obras de arte são ignoradas por nós cristãos porque não são “evangélicas”. Não é assim que funciona. Assim como o sol nasce para bons e maus, justos e injustos, a música é para todos nós.

Já ouvi muito também a seguinta afirmação: Você não sabe como essa música foi gerada, sobre quais circunstâncias ela nasceu.

Sou radical quanto a isso: Pode ser ou estar drogado, bêbado e até mesmo endemoniado, a música vai além de qualquer um desses estágios deploráveis. Se um indivíduo tem a capacidade de compor uma canção e ela não me agride, não fere princípios éticos, morais e até mesmo teológicos, porque não posso ouvir?

É preciso estar muito consciente e firme em suas escolhas e deixar se influenciar somente por aquilo que traz alguma edificação pra nós.

Sou curado e sei o que devo e não devo ouvir.

Analise o que você está escutando. Não crie um ambiente musical limitado. Esteja aberto a experimentar um mundo de sons. Nossos ouvidos buscam, “caçam” por qualidade. Então, preste atenção no tipo, estilo musical, som ,melodia de uma canção e, principalmente, em seu conteúdo.

Paz!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 13 de dezembro de 2010 em Uncategorized

 

Futuro

Fevereiro de 2011: MÊS DA MUDANÇA. Mês onde o futuro começa a se realizar.

A primeira etapa foi vencida e caminho rumo a próxima.

Agora, aprendi algo com um dos homens mais sábios desse século: Dr. Mike Murdock. Ele diz que pessoa alguma consegue realizar um sonho sozinha. Todo sonho envolve pessoas.

Os sonhos de Deus sempre são grandes. Quem sonha Nele entra no futuro.

Precisamos ter cuidado pra quem compartilhamos nossos sonhos. Nem todos entendem. E muitas vezes, quem mais achamos que irá sonhar junto conosco são os que nos desencorajam a prosseguir.

Davi queria construir um grande templo, mas Deus passou esse sonho para Salomão. Jamais ele realizaria esse projeto sozinho. Chamou aqueles que poderiam tornar aquela conquista uma realidade. Era algo majestoso.

O próprio Jesus é exemplo de que um sonho, um projeto não se pode realizar sozinho. Ele precisou de 12 pessoas para compartilhar os segredos do seu propósito.

Geralmente os que compreendem os sonhos de Deus em nossas vidas são os que convivem conosco por anos e anos.

Pra tudo existe um custo. Se eu olhar para isso e me atemorizar, não estarei confiando Naquele que fez a promessa e que é poderoso para cumpri-la.

A questão do custo de um sonho pode muito nos surpreender. Principalmente porque muitas pessoas que nem lembramos, as vezes, nos fazem uma surpresa de apoiar a trajetória de um futuro promissor.

É por isso que precisamos saber (ou lembrar) de um princípio muito forte: NÃO MENOSPREZE AS PESSOAS!

Hoje ela pode ser pequena, mas, só Deus sabe até onde ela irá chegar.

Então gente, é isso!

Orem por mim pra que esse futuro possa ser concretizado!

Paz!

 
Deixe um comentário

Publicado por em 1 de dezembro de 2010 em Uncategorized